7 situações comuns na vida de um viajante e suas soluções em forma de aplicativos

Confira como sair de 7 enrascadas de viagens apenas com aplicativos!



Com mapa e tradutor em mãos, você está pronto para encarar Nova York e se perder pelas ruas de Chinatown; dá até para negociar na hora da compra de suvenires.

App de conversão pode fazer diferença em países como Cuba, onde há duas moedas locais.


Por meio de aplicativos como Accuweather, é possível conferir o horário exato local do pôr do sol para programar um entardecer especial, com esse de São Miguel do Gostoso (RN).


Todo dia um novo aplicativo promete descomplicar o planejamento de uma viagem, conseguir de última hora os melhores preços em voos e hotéis ou listar as melhores atrações próximo a você. Na prática, durante o passeio, é comum que esses apps fiquem esquecidos no smartphone, seja por falta de conexão à internet ou pela impaciência para descobrir como funciona aquela ferramenta nova e nada intuitiva. Por isso, o Turismo indica quais serviços realmente podem ajudá-lo a se organizar para pegar a estrada.


Confira sete situações comuns na vida de um viajante e suas soluções em forma de apps:


► 1 - “Ai meu Deus, o que coloco na mala?”

Além de analisar qual o tipo de viagem (lazer ou negócios) e quantos dias vai ficar, é essencial conferir a previsão do tempo. Baixe o Accuweather. Para um check-list completo, existe o PackPoint: ele diz tudo que é preciso levar

com base no destino, nos dias e no tipo de viagem.


► 2 - “Meu inglês é péssimo, não falo o idioma local e quero pedir meu prato sem coentro”

Vá de Google Tradutor que não tem erro: são 103 idiomas atendidos. Você sabia que é possível utilizá-lo mesmo offline? Baixar o arquivo de tradução previamente pode ser sua salvação. O app também faz tradução de conversas em tempo real por meio do microfone do aparelho. Basta abrir a opção “Conversa” e selecionar os idiomas do diálogo. Além disso, você pode falar as frases e ouvir as traduções ou apontar a câmera do celular para placas, por exemplo, e descobrir seu significado. Em países orientais, vale também desenhar os caracteres com o dedo na tela do celular para saber sua tradução.


► 3. “Resolvi vir para essa cidade de última hora e não faço ideia de onde me hospedar”

Principalmente em mochilões, é comum decidir os destinos ao longo da viagem. Nesse caso, como saber onde ficar? O intuitivo e prático aplicativo do Couchsurfing (hospedagem gratuita em casa de desconhecidos) ou o Airbnb podem ser uma opção mais econômica que hotéis, além de oferecer uma perspectiva mais íntima da cultura local.

Ter o Kindle no celular, com um guia local disponível, também pode te aliviar na hora do sufoco. Confira avaliações e certifique a qualidade do hotel pelo TripAdvisor ou até pelo Google Maps.


► 4 - “Esse cara quer me ‘passar a perna’”

É comum se confundir nas contas quando é preciso fazer a conversão de moedas. Se só a calculadora do celular não está ajudando, baixe o aplicativo Oanda. Além de converter moedas, você pode simular taxas. Faça a tarefa de casa e descubra a média de gasto diária do seu destino pelo site Quanto custa viajar.


► 5 - “Não sei onde estou ou como volto daqui para o hotel”

Quando bater o cansaço (ou o desespero), vale apelar para o Uber. Sua conta brasileira funciona perfeitamente lá fora. Lembre-se apenas de desbloquear o cartão para uso no exterior.

E quando o Google falhar e for preciso descobrir uma forma segura de deslocamento entre cidades (ou até países), acesse o aplicativo Rome2Rio. O serviço mostra opções de trajetos de ônibus, trem, metrô ou carro com detalhes de tempo, tarifas e contato das companhias.


► 6 - “Que tédio! Não tem nada para fazer”

Você já fez check-in em todos os pontos turísticos possíveis e busca por algum tipo de diversão? É hora de baixar o Around me ou o Time Out. O primeiro lista bares, espetáculos, cinemas e tudo mais que estiver rolando por perto. O segundo é “apenas” um dos guias mais conceituados no mundo (presente em 30 cidades, como Londres, Barcelona e Lisboa). Se a ideia é só ocupar o tempo de uma viagem longa de ônibus, recorra à Netflix: é possível baixar os filmes no aplicativo para ver offline. E que tal experimentar o Tinder (aplicativo de encontros) durante uma viagem?


► 7 - “A bateria do meu celular não dura nem três horas direito”.

De nada adianta você ter os aplicativos na mão se o celular ficar sem bateria, certo? Aqui vão dicas bônus para a carga do smartphone durar mais:

* Reduza o brilho da tela;

* Feche aplicativos que estejam rodando em segundo plano;

* Desligue funcionalidades que não esteja usando: bluetooth, GPS, 3G... Vale até colocar em modo avião;

* Leve um carregador portátil consigo: ele garante uma sobrevida ao aparelho;

* Não esqueça um adaptador universal de tomada e leve-o sempre na mochila.

Fique alerta!

Se pretende utilizar algum aplicativo de transporte no exterior, confira como é a fiscalização do serviço na cidade – o que pode levá-lo a ter que esperar seu carro fora do terminal rodoviário, por exemplo. Atente ainda para o fato de que, na fatura do cartão, haverá uma conversão da moeda local para o dólar. Além do Uber, veja se há disponibilidade de outros apps, como Cabify e Lyft.


Via: otempo

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square