Os 12 melhores destinos para 2020 segundo o Lonely Planet

A lista Best in Travel seleciona os 10 países, cidades e regiões a visitar no próximo ano, entre os quais a Amazônia brasileira




  • 1 - Butão Este pequeno reino do Himalaia celebra algo muito importante em 2020: será o único país do mundo totalmente ecológico, com uma pegada de carbono negativa. O Butão aplica há anos uma política estrita de turismo que pode ser resumida como “alto valor e baixo impacto”, o que implica uma taxa diária obrigatória para seus visitantes como uma medida para evitar a superlotação. Porque falamos de um destino paradisíaco, com grandes montanhas nevadas, mosteiros onde os chifres tibetanos ressoam e onde a vida gira com uma pausa, assim como as rodas de oração de seus templos (na foto, Punakha). Um mundo ideal para caminhantes e viajantes em busca da espiritualidade. Entre seus planos essenciais está justamente escalar o Taktshang Goemba.

  • 2 - Inglaterra (Reino Unido) Sempre na moda e sempre atual, a Inglaterra abre uma nova atração no próximo ano que o convida a descobrir o país, especialmente sua costa: o England Coast Path, a rota costeira mais longa do mundo. Projeto iniciado em 2014, une diferentes rotas existentes até sinalizar um itinerário costeiro único de 4.800 quilômetros. Por exemplo, será possível fazer uma excursão de Berwick upon Tweed, ao nordeste do país, para Bowness-on-Solway, a noroeste, e incluindo um desvio ao longo do Wales Coast Path, a primeira trilha costeira aberta em 2012. Ou pule na rota Coast to coast Walk, que atravessa o norte da Inglaterra a partir do Lake District literário e bucólico, reconhecível nas encantadoras aldeias de Yorkshire Dales, a histórica cidade de York, a beleza desolada da região. North York More e a amplitude de Robin Hood's Bay. Na foto, o farol de Belle Tout, perto de Eastbourne, na costa sudeste.

  • 3 - Macedônia do Norte Esta nação dos Balcãs ratificou sua mudança de nome em 2019: após o acordo alcançado em 2018, depois de anos de controvérsia com a vizinha Grécia, a antiga República iugoslava da Macedônia foi renomeada para Macedônia do Norte. 2020 será um bom momento para visitá-lo, graças a novas conexões para acessar suas principais atrações e também a estreias como a rota High Scardus Trail, que atravessa suas montanhas mais espetaculares. O mais essencial: o bazar otomano em Skopje, a capital (foto) e uma excursão ao lago Ohrid, uma das mais antigas e profundas do continente (com mais de 300 metros de profundidade).

  • Aruba (Antilhas menores) Esta ilha pertencente às dissolvidas Antilhas Holandesas mistura uma evocação colorida da Holanda (no estilo antilhano) com praias de águas transparentes e magníficos destroços para mergulho. Mas Aruba se destaca no próximo ano por seu compromisso com a energia renovável, que será 100% implementada em todo o território em 2020, juntamente com a proibição total de plásticos e filtros solares (que estão destruindo os recifes). Além disso, foi especialmente desenvolvida no sul a chamada Sunrise City (a cidade do amanhecer), como San Nicolás é conhecida, a segunda cidade mais importante de Aruba, que brilha graças aos murais de artistas locais e internacionais, a suas atraentes praias e às boas condições para esportes aquáticos e subaquáticos. No interior, também encontramos paisagens de ecoturismo, como as zonas úmidas do Santuário de Pássaros Bubati ou o Parque Nacional Arirok (foto de uma piscina natural dentro do parque, na costa norte de Aruba).


  • 5 - Esuatini (antiga Suazilândia) Pequeno, agradável e rico em cultura e fauna, o reino de Esuatini (antiga Suazilândia) é, no entanto, um dos países menos visitados (e menos valorizados) da África. 2020 pode ser o ano de sua decolagem, graças às estradas melhoradas, a um novo aeroporto internacional e à tranquilidade - longe das tensões urbanas - que não se vive em outros países vizinhos. Uma viagem a Esuatini (reino dos Swazis) convida você a aprender sobre as tradições africanas e a explorar o mercado de Manzini em busca de tesouros locais de artesanato; atravessar o vale de Malkerns e entrar na reserva protegida de Mkhaya, onde o rinoceronte é o rei. Outros mamíferos grandes, como leões, leopardos ou elefantes, são vistos na maior área protegida do país, o parque nacional de Hlane (foto).


  • 6 - Costa Rica Comum entre os destinos mais sustentáveis do planeta, a Costa Rica também pode se tornar em 2020 um dos primeiros países com pegada de carbono zero (90% de sua energia já vem de fontes renováveis). Um quarto do seu território é protegido para proporcionar uma enorme biodiversidade do país, acessível através de propostas de aventura, como uma viagem de caiaque pelo Parque Nacional Tortuguero; visite a luxuriante floresta nublada de Monteverde e pule em uma das mais longas tirolesa do mundo; localize baleias jubarte na costa do Pacífico ou navegue na praia de Tamarindo.


  • 7 - Holanda Abril de 2020 será declarado Mês da Liberdade na Holanda, um país que comemora 75 anos de liberdade após o final da Segunda Guerra Mundial. E será feito com estilo: somente no dia 5 de maio, 14 festivais serão realizados em todo o país, perfeitamente alcançáveis graças às suas dimensões (a partir de Amsterdã, você pode chegar a muitas cidades encantadoras em poucas horas). Além disso, a rede de ciclovias soma mais de 35.000 quilômetros e atinge as regiões mais longínquas do norte, por exemplo, as ilhas do mar da Frísia e as grandes capitais culturais do sul, como Haia, Roterdã, Utrech , Groningen, Maastricht ou Eindhoven.


  • 8 - Libéria Este país fundado por escravos americanos libertados foi considerado, até 2016, perigoso, porém, desde então, a situação é mais calma e mais estável (embora o Ministério das Relações Exteriores espanhol continue aconselhando a não viajar a turismo para a Libéria). Os viajantes que pretendem descobri-la ficarão surpresos com sua riqueza natural, pois poderão avistar chimpanzés e hipopótamos-pigmeus no Parque Nacional Apo, ou frequentar as praias douradas e surfáveis de Robertsport ou os elefantes do recém-criado Parque Nacional Gola Forest. Além disso, o país africano assinou um compromisso com a Noruega - pelo qual receberá 150 milhões de dólares (cerca de 135 milhões de euros) do país nórdico - para interromper o desmatamento em suas florestas em 2020.


  • 9 - Marrocos No próximo ano, Marrakech será nomeada a primeira capital da cultura africana e, por esse motivo, sua rica herança será aprimorada mais do que nunca. Além disso, o país melhorou sua infraestrutura rodoviária e o primeiro trem de alta velocidade permite viajar de Casablanca para Tanger em apenas duas horas. É um bom momento para entrar em um país cheio de paisagens e contrastes culturais, com museus interessantes (como Saint Laurent ou o primeiro museu no norte da África dedicado às mulheres, ambos em Marrakech), com inúmeras conotações literárias (por exemplo, na cidade de Tanger), uma rica arquitetura e patrimônio cultural e gastronômico, além da possibilidade de fazer uma escapada para dormir uma noite no deserto do Saara. Na foto, a antiga cidade fortificada de Ait Ben Haddu, perto de Ouarzazate.


  • 10 - Uruguai Oásis de estabilidade e tranquilidade no meio de um ambiente continental mais agitado, o Uruguai é um país democrático e progressista que aceitou os direitos LGTBI, legalizou a maconha e é líder em turismo sustentável e ambientalmente amigável. Portanto, além de caminhar por Montevidéu, sua capital cosmopolita, visitar Colonia del Sacramento (na foto) e suas ruas coloniais e apreciar o glamour da praia de Punta del Este, devemos aproveitar a oportunidade de viver experiências autênticas e naturais, como avistamentos cetáceos, conhecer a vida em uma estância, montando um cavalo e compartilhando mate e conversas perto do fogo, ou navegar pela costa rochosa de Rocha até a solitária Punta del Diablo.


  • 11 - Rota da Seda (Ásia Central) Uma das grandes viagens a serem realizadas nos próximos tempos, seguindo os passos do mítico Marco Polo pelo Quirguistão, Tajiquistão e Uzbequistão. Agora, esses três países permitem o acesso sem visto (ou visto eletrônico) a quase todos os viajantes e até trabalham em um projeto de visto unificado para concluir esta moderna Rota da Seda. Além disso, o transporte e a infraestrutura estão sendo aprimorados para torná-lo mais acessível. Grandes cenários e experiências aguardam pelo caminho: a cidade oásis de Jiva e as majestosas madrasas do Registan em Samarcanda; caminhe pela estrada Pamir e durma em um iate quirguiz ou contemple o maciço Hindu Kush afegão a partir dos restos do Forte Yamchun (foto), uma das paradas mais importantes da Rota da Seda.


  • 12 - Marche (Itália) À sombra da popular Toscana, a região de Marche, na Itália central, compartilha com aquela as paisagens, as delícias gastronômicas e umas praias muito interessantes. E em 2020 ganhará protagonismo Urbino, cidade do século XV, declarada patrimônio mundial, que acolherá a celebração do 500º aniversário da morte de seu filho mais ilustre, o pintor renascentista Rafael. Bom momento para celebrar também suas virtudes paisagísticas, entre colinas que sustentam esplêndidas cidades, com museus que guardam obras de velhos mestres e descobrir surpresas como a criativa localidade de Fabriano, as praias de Sirolo e Fano, os segredos dos césares na antiga Via Flaminia e a experiência de avistar ursos, lobos e águias reais nas florestas do parque nacional dos Montes Sibilinos.



CONFIRA NA ORDEM:















Via: https://brasil.elpais.com/

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square